Da Idolatria à Mordomia

CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O GUIA EM PDF.

Isaias 44.10-20

ouvidos-atentos

Neste domingo começamos a minissérie “Vivendo a Mordomia”, um mês em que estudamos o princípio bíblico da fidelidade a Deus com o que Ele tem confiado em nossas mãos. Baseamos a série em Lucas 16.10-13, que descreve quatro princípios da mordomia: fidelidade nas coisas pequenas, fidelidade com o dinheiro, fidelidade com o que pertence aos outros e fidelidade a Deus. Para dar início à minissérie este ano examinamos o princípio de fidelidade a Deus pela lente da relação entre a idolatria e a mordomia. Lançamos o fundamento para o entendimento bíblico da mordomia com 15 textos que declaram claramente que tudo que existe foi criado por Deus, e portanto pertence a Ele. Rm 11.36 resume bem: “dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas”. Se começarmos com esse entendimento, segue naturalmente que em tudo somos mordomos daquilo que Deus nos encarregou. Qualquer atitude ou decisão que esquece ou ignora esse fato é idolatria.

Para entender melhor esse conceito, vimos o retrato nítido da futilidade da idolatria traçado em Is 44.10-20. Neste texto, Deus apresenta homens no ato de fabricar as imagens dos seus falsos deuses, mostrando a incoerência dos seus atos. Observamos que para fazer as imagens, os homens aproveitaram-se da matéria-prima da criação. Em outras palavras tudo que foi usado como material para criação de uma imagem foi primeiro criado por Deus e então usado para destronar o Todo-Poderoso. Para confeccionar as suas imagens, eles também desfrutaram de todas as leis e os princípios básicos da criação, leis e mecanismos da física, química, biologia e etc., usando-os a serviço da idolatria. Finalmente observamos que até mesmo a criatividade, habilidade, força física e inteligência empregadas pelos artesãos são traços da imagem de Deus no homem, deturpados para que o homem faça um falso deus à sua imagem.

O coração idólatra ignora a mordomia, o conceito que somos apenas despenseiros daquilo que foi feito por Deus, portanto pertence a Deus e deve ser usado somente para Sua glória. A verdadeira mordomia começa quando entendemos que toda a matéria-prima da criação, todas as leis e os princípios que governam nossa existência e até a nossa própria imagem é dEle, feito por intermédio dEle e existe somente para a glória dEle.

coracoes-abertos

Como falamos acerca do orgulho, a questão da idolatria não é se ela existe em nossa vida, mas onde ela existe e o quanto ela está influenciando nossos pensamentos e ações. O entendimento bíblico da mordomia é a vacina contra a idolatria; quanto mais compreendermos desse princípio, mais fácil será reconhecer, confessar e rejeitar a idolatria em nossa vida.

A mordomia reconhece o Criador. Você reconhece, verdadeiramente, que toda a matéria-prima da criação, dos átomos aos astros, é dEle, por Ele e para Ele? Isso tem gerado humildade, gratidão, louvor e adoração em sua vida? Quais são as coisas na sua vida que tendem a cativar sua atenção no lugar de Deus? Que leitura bíblica você tem usado para estimular o conhecimento da grandeza e soberania de Deus, especificamente como Deus Criador?

A mordomia reconhece o Senhorio de Deus. Você já parou para pensar em todas as leis e os princípios básicos que você usa diariamente para simplesmente levantar da cama, fazer café, ir para a escola ou o trabalho, brincar com seus filhos, até mesmo respirar ou continuar vivendo? Quem estabeleceu essas leis? Para quê? Você está desfrutando delas; será que está reconhecendo de Quem são, e que devem ser usadas para Sua glória? Que ações naturais você tem usado de forma idolatra, sem reconhecer o Deus que os criou?

A mordomia reconhece a Imagem de Deus. Quando foi a última vez que você parou para considerar que todos os atributos e as habilidades que o distinguem da criação são fruto da imagem e semelhança de Deus em você? Que sem Ele, não teríamos inteligência, criatividade, relacionamento, amor, personalidade, individualidade e assim por diante? Como você tem procurado refletir Sua imagem, ao invés de criar sua própria imagem?

A mordomia reconhece Jesus Cristo. Já parou para pensar que sem Jesus Cristo e Sua obra na cruz, nem seria possível reconhecer a Deus para glorificá-Lo? A criação (matéria, energia, tempo e espaço) proclama diariamente a Sua deidade, mas sem Cristo, como enxergaríamos isso? E sem Cristo, como poderíamos refletir Sua imagem? A mordomia verdadeira começa no coração transformado, na vida nova que vem pela a fé em Cristo.

maos-estendidas

Há um aspecto importante do nosso texto que precisamos lembrar: a idolatria fomenta uma cegueira espiritual. Deus descreve o idólatra da seguinte forma: “Ele se alimenta de cinzas, um coração iludido o desvia; ele é incapaz de salvar a si mesmo ou de dizer: ‘Esta coisa na minha mão direita não é uma mentira?’” (Is 44.20)

O nosso coração enganoso (Jr 17.9), na busca pela satisfação dos seus desejos, é capaz de nos levar a aceitar uma coisa tão obviamente ridícula quanto um deus feito da mesma madeira que está virando cinzas na fogueira! Aplicado ao nosso dia a dia, isso significa que é muito possível que estejamos cegos para os ídolos do nosso coração, mesmo quando são óbvios para Deus (e talvez outros observadores objetivos).

Como podemos enxergar a idolatria em nossa vida? O autor David Powlison oferece uma lista de “perguntas raio-x”* que pode nos ajudar a encontrar focos de idolatria no coração. Leia as seguintes perguntas e textos e responda numa folha de papel. Suas respostas servirão como um ponto de partida para reconhecer, confessar e rejeitar a idolatria, e caminhar para a verdadeira mordomia.

O que você ama? O que você odeia? Mt 22.37-39; 2 Tm 3.2-4; Lc 16.13-14.

O que você quer, deseja, anseia, cobiça? A que desejos você obedece? Gl 5.16-25; Ef 2.3, 4.22; 1 Pe 1.14, 2.11, 4.2; 2 Pe 1.4, 2.10; Tg 1.14-15, 4.1-3; Pv 10.3, 10.28, 11.6-7; Sl 17.14-15, 73.23-28.

O que você procura, quer alcançar, busca? Quais são seus alvos e expectativas? Mt 6.32-33; 2 Tm 2.22.

Sobre o que você alicerça a sua esperança? 1 Pe 1.13; 1 Tm 6.17.

O que você teme? O que você não quer? O que o deixa preocupado? Mt 6.25-32, 13.22.

No que você sente prazer? Mt 22.37-39; 2 Tm 3.2-4; Lc 16.13-14.

Do que você precisa? Quais são as suas “necessidades sentidas”? Mt 6.8-15, 6.25-32.

Quais são seus planos, a sua “agenda”, estratégias e intenções a se cumprirem? Gl 5.16-25; Ef 2.3, 4.22; 1 Pe 1.14, 2.11, 4.2; 2 Pe 1.4, 2.10; Tg 1.14-15, 4.1-3; Pv 10.3, 10.28, 11.6-7; Sl 17.14-15, 73.23-28.

Onde você encontra a sua identidade? Como você define quem você é? Jr 17.10.

Onde você encontra refúgio, segurança, conforto, escape, alegria? Sl 23, 27, 31 e cerca de dois terços dos demais Salmos.

*A lista completa de 35 perguntas se encontram no livro “Uma Nova Visão”, de David Powlison, Ed. Cultura Cristã, pp. 126-133 e também no vol. 1 das “Coletâneas de Aconselhamento Bíblico” do Seminário Palavra da Vida, pp. 3-13.

mentes-ocupadas

Dia 1

Isaias 44.1-28

Dia 2

Lucas 16.1-13

Dia 3

Romanos 1.16-32

Dia 4

Salmo 115.1-18

Dia 5

Salmo 135.1-21

Dia 6

Romanos 11.33-36

Dia 7

1 Coríntios 8.4-6

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.